sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

António Alçada Baptista


«Não há nada pior do que desiludirmos alguém que acredita em nós.»
in O Riso de Deus de António Alçada Baptista

Foi o único homem, que tem idade para ser meu Avô, por quem me apaixonei…desde que conheci a sua escrita, fiquei doida por ele!!!

Tinha 20 anos no dia em que numa livraria andava à procura de um livro para ler e o descobri. O nosso primeiro encontro foi com o Nós e os Laços. Depois de o devorar, de mastigar suavemente cada palavra, de sorrir, rir e chorar fiquei rendida. Tinha encontrado a escrita da minha vida!!! E era de um português.

De todos os livros dele elejo quatro, Nós e os Laços (o primeiro), O Riso de Deus, Tia Suzana, Meu Amor e Catarina ou o Sabor a Maçã.

«Ela falava sempre a sorrir porque era com o sorriso que ela se ligava ao mundo.
in Tia Suzana, Meu Amor de António Alçada Baptista

Gosto tanto da escrita de António Alçada Baptista que cheguei mesmo a apresentar um projecto, à minha orientadora de monografia, na faculdade, para escrever sobre ele. No entanto, e porque já tinha concretizado um estágio muito interessante, segundo a suas palavras, sobre Almeida Garrett e o Porto, para o qual tinha feito uma recolha significativa sobre ele, a minha orientadora achou que era uma pena não aproveitar todo esse trabalho e levá-lo até ao fim… do curso. Assim foi, o projecto de fim de curso foi sobre Almeida Garrett e o Porto!!! E assim, ficou de lado o António Alçada Baptista!!! Fazendo minhas as palavras da Tia Suzana «Eu não gosto de ressentimentos porque fazem a gente ficar muito feia: não há nada mais feio de que uma velha ressentida a querer vingar-se do que não conseguiu viver.» Por isso, quem sabe um dia!!! !!! !!!

Bem, tudo isto porque hoje é apresentado na 2: um documentário sobre a sua vida e obra à 23:30. Fiquei tão contente quando vi a apresentação que não poderia deixar passar em branco!!!

Se não poderem ver, para o conhecerem, acreditem que vale a pena ler um livro dele…o meu Top 4 já está mencionado e sinceramente, a minha perspectiva sobre a sua escrita é a de uma escrita muito feminina pela pena de um homem que viveu tanto… Como diria o Pedro de Nós e os Laços «Vivi rodeado de mulheres: de mãe, de primas, de tias, de criadas, de mulheres do campo, e até as conversas dos homens eram só histórias de mulheres.». Acreditem que vão gostar…eu pelo menos adoro!!!

Só para terminar, mais uma citação:

«Estamos num tempo em que o mal que vemos é a fome, a miséria e pouco mais. Se um dia tudo isso se resolvesse ficaria claro que o mal não é só isso: é ainda muito pior. Dizem que os pobres têm outra sabedoria. No caminho a que chegamos foi ainda a pobreza quem nos uniu e a riqueza quem sempre nos separou.»
in O Riso de Deus de António Alçada Baptista

Encontram toda, ou quase toda, a sua bibliografia…na Editorial Presença

5 comentários:

JuCris disse...

Vou seguir o teu conselho e tentar ver o programa.
Bjnhs e bom fds

Sonia disse...

Vou ver a 2 :D

maya disse...

Tens de me emprestar um desses livros. Bju

dina disse...

nunca li, mas garanto que vou comprar um livro dele
pelas frases que apresentas valem bem a pena

Dois amores disse...

Fiquei feliz por saber que não te esqueceste de nós!
Já tenho saudades vossas...está tudo bem?
A Inês está boa? Espero que esta tua falta de notícias seja devido ao trabalho que abunda (pois só este é um bom motivo!)...

Beijocas das duas daqui para as duas daí!